Véspera de Natal 24 de Dezembro

Grandes Vésperas (do dia 25 de Dezembro)

 

Orações iniciais

Presb: Ben+dito seja o nosso Deus, agora e sempre e pelos séculos dos séculos.

Coro: Amen.

Leitor: Glória a Ti, ó nosso Deus, glória a Ti.

Rei dos Céus, consolador, Espírito de verdade, Tu que estás presente em tudo e enches

tudo, Tesouro de bens e Doador da vida, vem e habita em nós, purifica-nos de toda a

impureza e salva as nossas almas, Tu que és bom.

Santo Deus, Santo Forte, Santo Imortal, tem piedade de nós (x3)

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, agora e sempre e pelos séculos dos séculos.

Amen.

Santíssima Trindade, tem piedade de nós. Senhor, purifica-nos dos nossos pecados.

Mestre, perdoa-nos as nossas iniquidades. Tu que és Santo, visita-nos e cura, pelo Teu

Nome, as nossas enfermidades.

Kyrie eleison. (x3)

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, agora e sempre e pelos séculos dos séculos.

Amen.

Pai nosso, que estás nos Céus, santificado seja o Teu Nome. Venha a nós o Teu Reino;

seja feita a Tua vontade, assim na terra como no Céu. O pão nosso de cada

dia nos dá hoje. Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos

devedores. E não nos deixes cair em tentaçäo, mas livra-nos do Mal.

Presb: Pois a Ti pertence o Reino, o poder e a glória, Pai, Filho e Espírito Santo, agora e sempre

e pelos séculos dos séculos.

Leitor: Amen.

Kyrie eleison. (x12)

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, agora e sempre e pelos séculos dos séculos.

Amen.

Vinde, adoremos e prostremo-nos diante de Deus, nosso Rei.

Vinde, adoremos e prostremo-nos diante de Cristo, nosso Rei e nosso Deus.

Vinde, adoremos e prostremo-nos diante de Cristo, nosso Rei e nosso Deus.

Depois recita o Salmo 103:

Salmo 103

Leitor: Bendiz, ó minha alma, ao Senhor. Senhor, meu Deus, Tu és infinitamente grande. De majestade e esplendor Tu Te revestes, envolvido de luz como de um manto. Tu estendes os Céus como uma tenda, Tu fixas sobre as águas a Tua morada. Fazendo das nuvens o Teu carro, Tu caminhas sobre as asas do vento. Tu fazes dos ventos Teus mensageiros e de Teus servidores chamas de fogo. Tu fixas a terra sobre os seus fundamentos, inabalável pelos séculos dos séculos. Do abismo Tu a cobras como de um manto, sobre as montanhas se fixavam as águas. A Tua ameaça elas fugiram, à voz do Teu torvão elas estremecem. Elas obem as montanhas, elas descem, os vales, em direcção ao lugar que Tu lhes fixaste. Tu fixaste-lhes um limite a não ultrapassar, para que não voltem a cobrir a terra. Tu nos vales fizeste brotar, as nascentes, que serpenteiam por entre as montanhas. Elas matam a sede a todos os animais do campo, os jumentos monteses, cheios de sede, as esperam. A ave dos céus habita junto delas, cantando entre as ramagens. Da Tua alta morada Tu regas as montanhas, a terra se sacia com o fruto das Tuas obras. Tu fazes crescer a erva para os animais, e as plantas úteis ao homem, para que da terra ele possa extrair seu sustento, e o vinho que alegra seu coração, para que o óleo lhe faça brilhar o rosto, e o pão lhe sustente as forças. As árvores do Senhor são cheias de vida, bem como os cedros do Líbano que Ele plantou. Neles fazem as aves os seus ninhos, e nos ciprestes a cegonha tem a sua morada. Os altos montes dão abrigo às cabras monteses, e os rochedos aos coelhos. Tu fizeste a lua para indicar as estações, e o sol conhece o seu ocaso. Tu ordenas que haja trevas, faz-se noite, durante a qual saem todos os animais da selva; os leöezinhos bramam pela presa e pedem a Deus o seu sustento. Nasce o sol e logo se recolhem, indo-se deitar em seus covis. Então sai o homem para a sua lida, e trabalha até ao entardecer. ó Senhor, quäo harmoniosas são as Tuas obras. Feitas, todas, com sabedoria: a terra está repleta das Tuas riquezas. Eis o mar, imenso e vasto, onde se movem, sem conta, animais pequenos e grandes. Onde navegam os naus e Levitá que formaste para dele fazeres troça. Todos esses seres esperam de Ti que lhes dês, a seu tempo, o sustento. Tu lho dás e eles o recolhem, Tu abres a mão e eles se saciam. Se escondes a Tua face, eles ficam perturbados; se Tu lhes retiras o hálito vital, eles morrem, e voltam ao pó donde sairam. Tu envias o Teu Espírito, e eles são criados, e renovas a face da terra. A glória do Senhor permaneça para sempre, alegre-Se o Senhor em Suas obras. Ele olha a Terra, ela treme, toca as montanhas, elas fumegam. Cantarei ao Senhor enquanto viver, cantarei louvores ao me Deus, enquanto existir. Possam as minhas palavras ser-Lhe agradáveis, a minha única alegria está no Senhor. Que o pecado desapareça da terra e seja exterminada a iniquidade. Bendiz, ó minha alma, o Senhor. Tu ordenas que haja trevas, faz-se noite, e o Sol conhece o seu ocaso. ó Senhor, quão harmoniosas são as Tuas obras. Feitas, todas, com sabedoria. Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, agora e sempre e pelos séculos dos séculos. Amen.

Aleluia, aleluia, aleluia. Glória a Ti, ó Deus. (x3)

Durante a recitação do Salmo 103, o Presbítero sai do santuário e, diante das portas reais, diz as Orações do Lucernário:

1

Presb: Senhor, cheio de compaixão e de misericórdia, lento na cólera e rico em piedade, escuta a nossa oração e atenta à voz da nossa súplica. Sê bom para connosco, conduz-nos pelos Teus caminhos, a fim de que caminhemos na Tua verdade. Alegra o nosso coração no temor de Teu Santo Nome, pois Tu és grande e fazes maravilhas. Só Tu és Deus e ninguém dentre os seres divinos é igual a Ti, Senhor poderoso em misericórdia e bom na força para socorrer, consolar e salvar aqueles que esperam em Teu Santo Nome. Pois a Ti pertence toda a glória, honra e adoração, Pai, + Filho e Espírito Santo, agora e sempre e pelos séculos dos séculos. Amen.

2

Presb: Senhor, não nos castigues na Tua ira, nem nos censures no Teu furor. Age para connosco segundo a Tua bondade e ilumina os olhos do nosso coração, para que conheçamos a Tua verdade. Concede-nos que passemos o resto deste dia e de toda a nossa vida em paz e sem pecado, pelas orações da Mãe de Deus e de todos os Santos. Pois a Ti pertence a força, o reino, o poder e a glória, Pai, + Filho e Espírito Santo, agora e sempre e pelos séculos dos séculos. Amen.

3

Presb: Senhor, nosso Deus, lembra-Te de nós, Teus servos, pecadores e inúteis. Sempre que invocamos o Teu Santo Nome, não nos confundas na esperança da Tua misericórdia, mas concede-nos, Senhor, todos os bens que pedimos para a nossa salvação. Torna-nos dignos de Te amarmos de todo o nosso coração, de Te temermos e de fazermos sempre a Tua vontade. Pois Tu és um Deus bom e amigo do homem, e nós Te damos glória, Pai, + Filho e Espírito Santo, agora e sempre e pelos séculos dos séculos. Amen.

4

Presb: Senhor, a Quem os Poderes Celestes celebram com hinos incessantes e cânticos de glória contínuos, enche os nossos lábios do Teu louvor para que enalteçamos o Teu Santo Nome e faz-nos participar na herança eterna como todos aqueles que Te temem na verdade e guardam os Teus mandamentos, pelas orações da Santa Mäe de Deus e de todos os Santos. Pois a Ti pertence toda a glória, honra e adoração, Pai, + Filho e Espírito Santo, agora e sempre e pelos séculos dos séculos. Amen.

5

Presb: Senhor, que em Tuas mãos imaculadas conténs todas as coisas, que és magnânimo para com todos nós, que choras sobre as nossas iniquidades, lembra-Te da Tua compaixão e piedade e protege-nos segundo a Tua bondade. Concede também a graça de escaparmos, neste dia, a toda a espécie de maquinações do Maligno e preserva-nos de todas as ciladas, pela graça do Teu Espírito Santo. Pela misericórdia e amor pelo homem de Teu Filho único, com o qual és bendito, com o Teu Espírito Santo, bom e vivificante, agora e sempre e pelos séculos dos séculos. Amen.

6

Presb: Ó Deus infinitamente grande e admirável, que, na Tua providência, governas todas as coisas com uma bondade incompreensível, que nos deste os bens temporais e, pelos bens já concedidos, um penhor do Reino prometido, Tu que, durante este dia, nos concedeste que evitássemos todo o mal, faz com que vivamos fora do pecado o resto da nossa vida, em presença da Tua santa glória, e cantemos o único Deus, bom e amigo do homem. Pois Tu és o nosso Deus e nós Te damos glória, Pai, + Filho e Espírito Santo, agora e sempre e pelos séculos dos séculos. Amen.

7

Presb: Ó Deus grande e sublime, o único Imortal, que habitas na Luz inacessível, que criaste o Universo com sabedória, que separaste a luz das trevas, que estabeleceste o sol para presidir ao dia, a lua e as estrelas para presidirem à noite, que nos julgaste dignos, ainda que pecadores, de nos apresentarmos, nesta hora, diante da Tua face, para Te louvarmos e oferecermos o hino vespertino, Tu mesmo, ó Amigo do homem, faz com que a nossa oração se eleve como o incenso diante de Ti e recebe-a como um perfume de suavidade espiritual. Concede-nos que passemos, na paz, esta tarde e a noite que se aproxima, reveste-nos com as armas da luz, livras-nos dos terrores nocturnos que se propagam nas trevas e faz com que o sono que nos concedes para refazermos as nossas forças seja isento de toda a inspiração diabólica. Sim, Mestre, dispensador de todos os bens, faz com que, penetrados de arrependimento, nos lembremos nos nossos leitos do Teu Nome e, guiados pelos Teus mandamentos, nos levantemos com a alegria no coraçäo para glorificarmos a Tua bondade e suplicarmos a Tua misericórdia para as nossas próprias faltas e para os erros do Teu povo que Te pedimos que protejas, pelas orações da Mãe de Deus. Pois Tu és um Deus bom e amigo do homem e nós Te damos glória, Pai, + Filho e Espírito Santo, agora e sempre e pelos séculos dos séculos. Amen.

Concluida a recitação do Salmo 104, o Presbítero, diante das portas reais, canta a Grande Litania.

Grande Litania

Diác: Em paz oremos ao Senhor.

Coro: Senhor, tem piedade.

Diác: Para que Ele nos conceda a paz celeste e a salvação das nossas almas, oremos ao

Senhor.

Coro: Senhor, tem piedade.

Diác: Para que reine a paz no universo, pela prosperidade das santas igrejas de Deus e pela

união de todos, oremos ao Senhor.

Coro: Senhor, tem piedade.

Coro: Senhor, tem piedade.

Diác: Pelo nosso santo Patriarca/Arcebispo/Bispo N., pela venerável ordem dos

presbíteros e diáconos em Cristo, por todo o clero e o povo, oremos ao Senhor.

Coro: Senhor, tem piedade.

Coro: Senhor, tem piedade

Coro: Senhor, tem piedade.

Coro: Senhor, tem piedade.

Coro: Senhor, tem piedade.

Coro: Senhor, tem piedade.

Coro: Senhor, tem piedade.

Coro: A Ti, Senhor.

Coro: Amen.

Pequena Litania

Diác: Em paz, continuemos sempre a orar ao Senhor.

Coro: Senhor, tem piedade.

Coro: Senhor, tem piedade.

Coro: A Ti, Senhor.

Coro: Amen.

Salmos do Lucernário

Os Salmos do Lucernário são cantados no tom designado, enquanto o diácono (ou o presibítero) incensa a igreja inteira.

Salmo 140

Salmo 141

Intercalar aqui o primeiro Stikhiron, se há dez.

Salmo 129

Primeiro Stikhiron se há oito.

Primeiro Stikhiron se há seis.

Primeiro Stikhiron se há quatro

Salmo 116

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.

Segue-se o Doxastikón

Agora e sempre e pelos séculos dos séculos. Amen.

Segue-se o Theotóquio

 

 

No Senhor, a Ti clamo, os seguintes seis idiómelos, no 2o Tom:

De Germano

Vinde, rejubilemos no Senhor, proclamando o presente mistério; pois Ele quebrou o muro de separação, e a lança flamejante baixar-se-á e os querubins admitirão a todos à árvore da vida. Quanto a mim, voltarei a gozar do extase do paraíso do qual fui outrora expulso por iniquidade; pois a semelhança do Pai, e a Pessoa da Sua eternidade, que é impossivel mudar, assumiu a forma de um servo, de uma Mãe que não conheceu a vida conjugal; Ele permaneceu o que era, Deus verdadeiro; e o que não era, assumiu-o, tornando-Se homem por amor pelos homens. Levantemos a voz e clamemos-Lhe: Ó Deus nascido de uma Virgem, tem piedade de nós. (x2)

De Anatólio

Quando o Senhor Jesus nasceu da santa Virgem, todo o mundo foi iluminado. Os pastores vigiaram nos campos, os Magos adoraram e os anjos louvaram com cânticos; mas Herodes ficou perturbado, pois Deus, o Salvador das nossas almas, manifestou-se na carne. (x2)

O Teu Reino, ó Cristo nosso Deus, é um Reino de todos os séculos, e o Teu domínio é de geração em geração. Incarnado pelo Espírito Santo, e feito homem da sempre-Virgem Maria, iluminaste-nos pela Tua vinda, Luz da Luz, Esplendor do Pai, Tu fizeste toda a criação brilhar de alegria. Tudo o que respira Te louva, imagem do Pai celeste. Ó Deus que és, e que sempre foste, que Te manifestaste de uma Virgem, tem piedade de nós. (x2)

Que Te ofereceremos, ó Cristo, que por nossa causa apareceste na terra em forma de homem? Cada criatura feita por Ti Te dá graças. Os anjos oferecem-te um hino; os céus uma estrela; os Magos, dons; os pastores, o seu espanto; a terra, a sua gruta; o deserto, a manjedoura: e nós Te oferecemos a Mãe Virgem. O Deus pre-eterno, tem piedade de nós. (x2)

Glória…. Agora….

Mesmo Tom.

(Da Monja Cassia)

Quando Augusto reinava só na terra, os muitos reinos dos homens chegaram ao fim: e quando Tu foste feito homem da pura Virgem, os muitos deuses da idolatria foram destruídos. As cidades do mundo passaram a crer numa só Divindade soberana. Os povos foram registados pelo decreto de Cesar; e nós, os fiéis, fomos registados em Nome da Divindade, quando Tu, nosso Deus, Te fizeste homem. Grande é a Tua misericórdia: glória a Ti.

Procissão de Entrada

Quando o coro começa a cantar o Theotókio, abrem-se as portas reais. O Presbítero, diante do altar, faz três inclinaçöes; depois, precedido pelo Diácono que leva o turíbulo (ou o Evangeliário, se há uma leitura dos Evangelhos), sai do santuário pela porta Norte. Quando a procissäo chega diante das portas reais, o diácono incensa os ícones e diz em voz baixa:

Diác: Oremos ao Senhor.

Diác: Abençoa, Mestre, a santa entrada.

Diác: Amen.

Quando o Theotókion acabar, o Diácono coloca-se diante das portas reais e, levantando o turíbulo, proclama em voz alta:

Diác: Sapiência! De pé!

Coro: Ó Luz jubilosa da santa glória do Pai Celeste, Imortal, Santo e Bem-aventurado, Senhor

Jesus Cristo! Chegados ao pôr-do-sol, contemplando a luz vespertina, nós cantamos o

Pai e o Filho e o Espírito Santo de Deus. É digno que em todo o tempo Te louvemos

com vozes puras, ó Filho de Deus, que dás a vida: todo o universo Te dá glória.

Durante este hino o presbítero e o diácono entram no santuário.

Proquímeno e Leituras das Sagradas Escrituras

I. Proquímeno

Diác: Estejamos atentos!

Presb: A paz esteja convosco.

Coro: E com o teu espírito.

Diác: Proquímeno no N. tom.

------------

Leituras:

Leitura de Genesis (1:1-13)

Leitura de Números (24:2-3; 5-9; 17-18)

Leitura do Profeta Miquéas (4:6-7, 5:2-4)

Coro: Senhor, tem piedade.

Coro: Senhor, tem piedade.

Coro: Senhor, tem piedade. (x3)

Diác: Oremos pelos cristãos ortodoxos.

Coro: Senhor, tem piedade. (x3)

Coro: Senhor, tem piedade. (x3)

Coro: Senhor, tem piedade. (x3)

Coro: Senhor, tem piedade. (x3)

Coro: Senhor, tem piedade. (x3)

Coro: Senhor, tem piedade. (x3)

Coro: Amen.

Oração Vespertina

Lida pelo Presbítero, Superior ou leitor, segundo o costume

Litania de Suplicação

Diác: Completemos nossa oração vespertina ao Senhor.

Coro: Senhor, tem piedade!

Coro: Senhor, tem piedade.

Coro: Concede, Senhor.

Diác: Peçamos ao Senhor um Anjo de paz, guia fiel e guardiäo das nossas almas e dos nossos

corpos.

Coro: Concede, Senhor.

Diác: Peçamos ao Senhor o perdäo e a remissäo dos pecados.

Coro: Concede, Senhor.

Coro: Concede, Senhor.

Coro: Concede, Senhor.

Coro: Concede, Senhor.

Coro: A Ti, Senhor.

Coro: Amen.

Presb: A paz e esteja convosco.

Coro: E com o teu espírito.

Diác: Inclinemos a cabeça diante de Deus.

Coro: Diante de Ti, Senhor.

Coro: Amen.

Na véspera das grandes Festas, aqui insere-se o Lití, ou procissäo solene até ao narthex da igreja com hinos próprios e litania..

Agora é cantado o seguinte, de pé:

Tropário, 6o Tom

Tu nasceste secretamente numa gruta, mas os céus falaram por uma estrela e anunciaram-Te a todos, ó Salvador. E ela trouxe-Te os Magos, que Te adoraram om fé: tem piedade deles e de nós.

V. O seu fundamento está nos montes sacros: o Senhor ama as portas de Sião mais do que todas as habitações de Jacob. (Salmo 86:1-2)

E ela trouxe-Te os Magos, que Te adoraram com fé: tem piedade deles e de nós.

V. Coisas gloriosas se dizem de ti, ó cidade de Deus. Dentre os que me conhecem, farei menção de Raabe e da Babilónia. (Salmo 86: 3-4)

E ela trouxe-Te os Magos, que Te adoraram com fé: tem piedade deles e de nós.

V. Eis que da Filístia e de Tiro, e da Etiopia, se dirá: (Ibid., 4)

E ela trouxe-Te os Magos, que Te adoraram com fé: tem piedade deles e de nós.

V. Este é nascido ali. E de Sião se dirá: Este e aquele nasceram ali, e mesmo o Altíssimo a estebelecerá. (Ibid., 4-5)

E ela trouxe-Te os Magos, que Te adoraram com fé: tem piedade deles e de nós.

V. O Senhor, ao fazer descrição dos povos, diráeste é nascido ali. E ops cantores e tocadores de instrumentos entoarão: todas as minhas fontes estä em ti. (Ibid., 6-7)

E ela trouxe-Te os Magos, que Te adoraram com fé: tem piedade deles e de nós.

Glória… Agora…

Tu nasceste secretamente numa gruta, mas os céus falaram por uma estrela e anunciaram-Te a todos, ó Salvador. E ela trouxe-Te os Magos, que Te adoraram com fé: tem piedade deles e de nós.

Leituras:

Leitura do Profeta Isaías (11:1-10)

Leitura do Profeta Jeremias (Baruch 3:35-4:4)

Leitura do Profeta Daniel (2:31-36, 44-45)

Agora é canto o seguinte, de pé:

Tropário, 6o Tom

Manifestaste-Te de uma Virgem, ó Cristo, Sol espiritual de justiça. E uma estrela mostrou-Te, a Ti Que nada pode conter, contido numa gruta. Tu levaste os Magos a adorar-Te, e junto com eles nós Te magnificamos: Ó Doador de vida, glória a Ti.

V. O Senhor reina; está vestido de majestade: o Senhor se revestiu e cingiu de fortaleza. (Salmo 92:1)

Tu levaste os Magos a adorar-Te, e junto com eles nós Te magnificamos: Ó Doador de vida, glória a Ti.

V. O mundo também está firmado e não poderá vacilar. O teu trono está firme desde então; tu és desde a eternidade. (Ibid. 1-2)

Tu levaste os Magos a adorar-Te, e junto com eles nós Te magnificamos: Ó Doador de vida, glória a Ti.

V. Os rios levantam, ó Deus, os rios levantam o seu ruído, os rios levantam as suas ondas. (Ibid. 3)

Tu levaste os Magos a adorar-Te, e junto com eles nós Te magnificamos: Ó Doador de vida, glória a Ti.

V. Mas o Senhor nas alturas é mais poderoso do que o ruído das grandes águas e do que as grandes ondas do mar. (Ibid., 4)

Tu levaste os Magos a adorar-Te, e junto com eles nós Te magnificamos: Ó Doador de vida, glória a Ti.

V. A santidade convém à tua casa, Senhor para sempre.

Tu conduziste os Magos a adorar-Te, e junto com eles nós Te magnificamos: Ó Doador de vida, glória a Ti.

Glória… Agora…

Manifestaste-Te de uma Virgem, ó Cristo, Sol espiritual de justiça. E auma estrela mostrou-Te, a Ti Que nada pode conter, contido numa gruta. Tu levaste os Magos a adorar-Te, e junto com eles nós Te magnificamos: Ó Doador de vida, glória a Ti.

 

Leituras

Leitura do Profeta isaías (9:6-7)

Leitura do Profeta Isaías (7:10-16; 8:1-4, 9-10)

Pequena Litania

Proquímenon, 4o Tom

O Senhor disse-me: Tu és o meu Filho, Eu hoje Te gerei. (S.2:7)

V. Pede-Me, e Eu Te darei as nações por herança. (Ibid., 8)

Epístola

Hebreus 1, 1-12

Aleluia, 8o Tom

V. 1 Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-Te à Minha mão direita, até que ponha os inimigos por escabelo dos Teus pés. (S.109: 1)

V. 2 O Senhor enviará o ceptro da Tua fortaleza desde Sião. (Ibid., 2)

Evangelho

Lucas 2: 1-20

Litania

 

Apóstica: Idiómelos, 2o Tom

De Germanus

Hoje acontece uma coisa grande e maravilhosa: uma Virgem dá à luz, mas sem corrupção; o Verbo é incarnado, mas não se separa do Pai; os anjos glorificam com os pastores, e com eles ergamos as nossas vozes, clamando: Glória a Deus nas alturas, e paz na terra.

V. Disse o Senhor ao meu Senhor: Senta-te à minha direita. (3o Tom)

Hoje a Virgem dá à luz ao Criador de tudo; o Eden oferece a gruta; o astro conta àqueles na escuridão de Cristo o Sol; os Magos com prendas adoraram-nO, iluminados por fé; e os pastores viram a maravilha, os anjos cantando e dizendo: Glória a Deus nas alturas.

V. Do ventre, antes da estrela matutina, gerei-te.

Quando o Senhor Jesus nasceu em Belém de Judá, os Magos vieram do Oriente e adoraram-nO como o Deus incarnado. Ansiosamente abriram os seus tesouros a ofereceram-Lhe dons preciosos - ouro puro, pois é o Rei dos séculos; incenso pois é o Deus de tudo; e, como morto durante três dias, ofereceram mirra Àquele imortal. Vinde, então, todas as nações, adorar Aquele que nasceu para salvar as nossas almas.

Glória no 4o Tom (de João de Damasco)

Rejubila, ó Jerusalem, e celebrai todos vós que amais a Sião; pois os laços temporais com que Adão foi condenado foram soltos; o paraíso foi-nos aberto e a serpente foi aniquilada, tendo agora visto que aquela que por ela fora outrora tornou-se Mãe do Criador. Por isso, ó profundidade, riqueza, sabedoria e conhecimento de Deus, o instrumento de morte que trouxe a morte a toda a carne, se tornou-se a primícia da salvação para o mundo inteiro, por causa da Theotókos; pois o Deus todo perfeito nasceu dela como uma criança; e pelo Seu nascimento selou a sua virgindade; pelos Seus panos soltou os laços dos nossos pecados; e pela Sua infância sarou as dores e tristezas de Eva. Que toda a criação anuncie as alegres notícias e rejubile, então; pois Cristo veio para chamá-la de novo e para salvar as nossa almas.

Agora e sempre, no mesmo Tom (por Anatólio)

Ó Cristo Deus, Tu viveste numa gruta e uma manjedoura recebeu-Te. Os Magos adoraram-Te com os pastores cumprindo assim a pregação dos Profetas; e as potestades angélicas, maravilhadas, ergueram as vozes dizendo: Glória à Tua longânimidade, Ó Tu, o Único que amas os homens.

Triságio

 

Cântico de Simeão

Após os Apóstica o coro canta o Cântico de Simeão (Lucas 2, 29- 33). Neste momento, nas festas, abrem-se as portas reais e mantêm-se abertas até ao fim das Vésperas.

Trisagion e orações

Kyrie eleison. (x3)

Leitor: Amen.

Tropário no 4o Tom (3 vezes)

O Teu nascimento, Cristo nosso Deus, trouxe ao mundo a luz da sabedoria pois aqueles que adoravam as estrelas aprenderam delas a adorar-Te a Ti, ó Sol de justiça, e a saber que do Oriente do Altíssimo vieste; Senhor, glória a Ti. (x3)

Despedida

Diác: Sapiência!

Leitor: Abençoa, Mestre.

Presb: Salva-nos, ó Santa Mãe de Deus.

Presb: Que Aquele que nasceu numa gruta e esteve deitado numa manjedoura para a

nossa salvação, Cristo nosso verdadeiro Deus, pelas orações da Sua Puríssima Mãe, e

de todos os Santos, tenha piedade de nós e nos salve, pois Ele é bom e ama os homens.

Coro: Amen.

Após a Despedida, o pão bento é molhado no vinho e distribuído aos fiéis. Em algumas tradições os fiéis são untados com o óleo bento, e em algumas tradições o pão bento é distribuído durante os Apóstica.

 VOLTAR

Ó 2000, 2001 Igreja Ortodoxa Grega em Portugal